Por que e quando vacinar-se contra o Herpes Zóster

por Dr. Ênio Ribeiro Reis*

Você já ouviu falar sobre Herpes Zóster? Não? Mas o “cobreiro” provavelmente sim. Este é o nome popular pelo qual é conhecida a infecção viral que provoca vesículas (pequenas bolhas) na pele. É causada pelo mesmo vírus da Catapora (varicela-zóster) e pode permanecer latente ou inativo na coluna espinhal, podendo ser reativado em qualquer época caso haja queda da imunidade e altos níveis de estresse.

Recentemente chegou ao Brasil o mais eficaz tratamento para a Herpes Zóster: a vacina viva contra Herpes Zóster Zostavax. O Centro Médico Varginha conta com este tratamento e, hoje, meu artigo vai falar um pouco sobre a ação dela no organismo dos pacientes.

Primeiro, vamos explicar o que é uma vacina viva. É a forma viva não virulenta de um organismo patogênico ou vírus (caso da varicela-zóster) que induz a uma resposta imune contra a infecção de sua forma virulenta.

Assim, Zostavax está indicado na prevenção do Herpes Zóster (“cobreiro”) e da neuralgia pós-herpética, que causa dor intensa e frequentemente impede o indivíduo de realizar suas atividades diárias. O Zostavax está indicado na imunização de indivíduos com 50 anos ou mais.

O paciente deve receber uma dose única (de 0,65 ml), administrada por via subcutânea, preferencialmente na região deltoide superior de braço.

O cobreiro é causado pelo mesmo vírus da varicela. Portanto, só pode ter Herpes Zóster quem teve catapora. Após a varicela, algumas pessoas podem não desenvolver imunidade total ao vírus. Quando o vírus é reativado na idade adulta, causa uma lesão avermelhada, atacando a raiz nervosa de uma metade do corpo, respeitando o lado acometido.

O Herpes Zóster causa dor, vermelhidão, bolhas e coceira. Não importa o quão saudável você esteja, o risco de desenvolver a infecção aumenta com o decorrer da idade. Entretanto, os pacientes reumatológicos, oncológicos, imunodeficientes e idosos são os mais acometidos.

Por isso, quanto mais cedo o indivíduo for vacinado, mais chances de se proteger contra esta doença. A vacina, assim como qualquer tipo de tratamento, não protege todos adultos, raros caso ainda podem ser acometidos, numa forma mais branda.

Algumas das contra indicações da vacina contra o Herpes Zóster é se você estiver tomando altas doses de cortisona (usados normalmente em medicamentos antialérgicos e anti-inflamatórios), se estiver grávida ou pretende ficar.

Discuta com seu médico a possibilidade de se vacinar. Vacine-se somente seis meses após o último episódio de Zóster e com quatro meses de intervalo da vacina contra pneumonia (Pneumo 23). Esta vacina foi liberada para uso no Brasil somente em 2014. Nos Estados Unidos já se usa há vários anos.

*Dr. Ênio Ribeiro Reis
CRM 20480-T
Reumatologista do Centro Médico Varginha
facebook.com/centromedicovarginha